sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Hipotonia: Como tratar?

A hipotonia tem como principal característica a diminuição do tônus muscular. Os bebês com hipotonia apresentam pouca movimentação, muitas vezes dificuldade para mamar, dificuldade de levar a mão à boca, de pegar objetos, e etc.
O diagnóstico é feito geralmente no nascimento ou nos primeiros meses de vida.
A Hipotonia pode ser familiar ou mesmo ter outras causas, como por exemplo, as más formações cerebrais, as síndromes metabólicas e as doenças neuromusculares. É muito importante tentar descobrir a causa com o neurologista e o geneticista para sabermos quais os tratamentos e recursos terapêuticos adequados.
A estimulação precoce é o melhor tratamento para as crianças hipotônicas e, dependendo das dificuldades da criança, o tratamento pode envolver Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional e Fonoaudiólogo. Os profissionais vão trabalhar principalmente a postura, a coordenação motora, a musculatura orofacial e o fortalecimento muscular, além de prevenir problemas ortopédicos.
Fazemos uma cuidadosa avaliação para definir quais os recursos terapêuticos mais indicados e qual a fase que a criança se encontra.
O Therasuit e a plataforma vibratória apresentam excelentes resultados, mas não são indicados para todas as crianças hipotônicas, por isso é importante ter os laudos médicos para que possamos orientar quanto aos melhores recursos e tratamentos.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

A Polia nos Intensivos de Therasuit

Uma das atividades realizadas durante o intensivo de Therasuit é o uso da Polia, que é uma roldana com cordas e peso na extremidade, e pode ser colocada nos pés, nos braços ou nas pernas.
A Polia permite que trabalhemos músculos que geralmente não são utilizados pela criança devido aos problemas neurológicos, que culminam em um desequilíbrio muscular.
Deve-se haver um raciocínio bem preciso das terapeutas para que o trabalho com a Polia seja eficaz. É essa análise cuidadosa que vai determinar:
• O objetivo;
• O peso que será colocado;
• Os grupos musculares que precisam ser trabalhados;
• Por quanto tempo será utilizada;
• Os tipos de exercício que serão feitos;
• A finalidade;
• A angulação correta;
• E tudo que é necessário ser trabalhado em cada criança, sendo portanto, uma avaliação que além de cuidadosa e precisa, também é estritamente individual.
Trabalhando os grupos musculares adequados, os músculos ficam mais fortes, a postura fica mais consciente e a criança torna-se mais apta a mover-se e ganhar autonomia!


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Como escolher recursos terapêuticos e métodos de reabilitação

Não há método ou recurso terapêutico que funcione para todas as crianças, há métodos e recursos cuidadosamente indicados para cada caso.
Aqui no GRHAU, fazemos uma completa avaliação para entender as necessidades de cada criança, e assim, potencializar os resultados das terapias.
É por isso que investimos constantemente em cursos e compra de equipamentos.
Aqui no GRHAU trabalhamos com diversos recursos e equipamentos:
• Gaiola de atividades do Therasuit;
• Plataforma vibratória;
• Lycra suspensa;
• Parede de esacalada terapêutica;
• Eletroestimulação funcional;
• Prancha de deslocamento;
• Andadores;
• Esteira;
• Recursos de integração sensorial;
• Bolas e rolos;
• Espaldar;
• MPS Therapy.


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O que é Mielomeningocele

A mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, é uma malformação congênita da coluna vertebral em que as meninges, a medula e as raízes nervosas ficam expostas.
Mielomeningocele é o tipo mais comum e também a mais grave de espinha bífida.
O comprometimento neurológico na mielomeningocele é comum, incluindo alguns sinais e sintomas:
• Fraqueza muscular nas pernas ou perda de movimentos;
• Perda de controle e demais problemas intestinais e da bexiga;
• Insensibilidade parcial ou total;
• Convulsões;
• Problemas ortopédicos, como pés tortos, quadris irregulares e escoliose;
• Hidrocefalia;
• Presença de pelos na parte posterior da pélvis (região sacral);
• Dificuldades de aprendizagem e problemas com a linguagem podem ocorrer.


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Elestroestimulação Funcional

No último final de semana, nossa fisioterapeuta, Janice, participou do Curso de Eletroestimulação Funcional, com a norte americana, Judy Carmuck.
A estimulação elétrica é um excelente recurso terapêutico no tratamento das crianças com paralisia cerebral, agindo diretamente nos músculos espásticos, na musculatura postural e durante o treino de atividades físicas, como por exemplo a marcha. Os benefícios são globais, servindo como ótimo estímulo para auxiliar no controle de cabeça, de tronco, para sentar melhor, brincar melhor, e etc. Também é indicada para crianças com mielomeningocele e outras patologias, estimulando a musculatura fraca e obtendo vários outros benefícios.
Há mais benefícios, como por exemplo:
• Melhora da amplitude de movimento;
• Diminuição da espasticidade;
• Menor resistência ao alongamento passivo ou à movimentação;
• Melhora da postura;
• Auxilia no trabalho de função de braços e pernas.
• Auxilia no treino de marcha;
• Auxilia no tratamento de escoliose.


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Bandagem Terapêutica ou Kinesio Taping

A Bandagem Terapêutica ou Kinesio Taping é um recurso muito utilizado na reabilitação infantil. O objetivo da bandagem é auxiliar o corpo a buscar seu equilíbrio nos intervalos das sessões de terapias.
A bandagem promove estímulos sensoriais e mecânicos duradores e constantes, e pode ser aplicada por um período de 3 a 5 dias, podendo durar até 7 dias, isso vai depender da técnica, do objetivo e da sensibilidade da pele do paciente.
Há diversos benefícios:
• Auxilia a correção postural;
• Melhora a circulação sanguínea e linfática;
• Pode reduzir dores;
• Correção biomecânica articular e de funções musculares;
• Facilitação ou limitação de movimentos;
• Estabilização de articulações, podendo auxiliar na prevenção de luxações;
• Pode ajudar no controle da deglutição da saliva;
• Relaxamento muscular.
Apenas a aplicação da bandagem não garante resultados significativos, é necessário estar associada as terapias como recurso de apoio.
Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais ou Fonoaudiólogos são os profissionais que podem utilizar em seus atendimentos.

sábado, 15 de outubro de 2016

Dia do Professor. Parabéns!

Parabéns pelo dia do Professor! Principalmente àqueles que acreditam e praticam a inclusão escolar! 



quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Feliz dia das crianças!

Feliz dia das crianças!
Aproveitem cada segundo com seus pequenos!

"Ser criança é acreditar que tudo é possível.
É ser inesquecivelmente feliz com muito pouco.
É se tornar gigante diante de gigantescos obstáculos.
Ser criança é fazer amigos antes mesmo de saber o nome deles.
Ser criança é ter o dia mais feliz da vida, todos os dias.
Ser criança é o que a gente nunca deveria deixar de ser."


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

O Botox (toxina botulínica) na Paralisia Cerebral

O Botox (toxina botulínica) pode ser um grande aliado nas terapias de crianças com deficiência motora.

A criança que tem dificuldades de adquirir posturas, ter controle cervical, sentar-se sozinha e/ou andar, pode desenvolver um quadro de rigidez excessiva, o que não somente causa dor e desconforto, como também compromete sua evolução motora.

Nesses casos, tomando-se a decisão em conjunto (fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, ortopedista, fisiatra e neurologista), os pontos de aplicação do botox são definidos.

A aplicação é feita diretamente nos músculos afetados, garantindo um efeito localizado e rápido se comparado ao uso de medicamentos orais.

Após a aplicação, a criança precisa intensificar as terapias e trabalhar com muitos alongamentos, para que o efeito do Botox seja potencializado e a amplitude muscular seja melhorada.

Os efeitos do Botox têm duração aproximada de seis meses, e após esse período, é feita uma avaliação com a equipe para que seja decidida uma nova aplicação ou não.


sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Dicas de brinquedos para crianças com deficiência

Na semana que vem comemoramos o dia das crianças e entendemos que o brincar deveria ser uma atividade universal para todas as crianças independentemente de idade, raça, nacionalidade, condição física e social.

Muitas vezes, as mães de crianças com deficiência, têm dificuldade de encontrar brinquedos que os filhos realmente possam brincar, por isso preparamos algumas dicas para ajudar nessa escolha, porque criança gosta mesmo é de brinquedo!

Primeiramente deve-se levar em consideração o interesse e as possibilidades da criança, e, para cada deficiência, há brinquedos mais ou menos indicados:

• Deficiência motora: brinquedos com estruturas grandes, mais fáceis de pegar ou encaixar, sem que necessitem de movimentos mais rápidos ou de motricidade fina. Os brinquedos também podem ser adaptados para uso com acionador.

• Deficiência visual: brinquedos com efeitos sonoros, texturas, com cores bem vivas e contrastes.

• Deficiência intelectual: brinquedos educativos planejados para facilitar a aprendizagem podem ser uma boa opção.

• Deficiência auditiva: brinquedos com vibração, movimento, luzes e texturas.

Aproveite o dia das crianças para brincar com seu filho, para curtir momentos especiais e únicos. Estimule a brincadeira simples e sem cobrança, para que o brincar seja lazer e não obrigação.

Se você tiver dificuldade em brincar com seu filho ou escolher o presente ideal, converse com o Terapeuta Ocupacional, pois é o profissional que além de orientar essas atividades, também pode encontrar soluções e adaptações para que tudo ocorra da melhor forma possível!




quinta-feira, 6 de outubro de 2016

O que é paralisia cerebral?

Paralisia cerebral é a lesão de uma ou mais partes do cérebro. Não é uma doença! Mas sim, um quadro ou estado patológico, pois nesse caso a lesão é irreversível.

A paralisia cerebral não tem caráter progressivo e apresenta clinicamente distúrbios da motricidade, com alterações do movimento, da postura, do equilíbrio, da coordenação e possíveis
movimentos involuntários.


terça-feira, 4 de outubro de 2016

10 filmes que abordam a inclusão da pessoa com deficiência

Muito lindo! Acesse o link abaixo:

10 filmes que abordam a inclusão da pessoa com deficiência

Terapia de Integração Sensorial

Durante as terapias utilizamos muito a Integração Sensorial. Além dos objetivos terapêuticos, as crianças adoram!
A lycra suspensa é um dos recursos da terapia de Integração Sensorial que fornece estímulos sensoriais, de propriocepção (percepção do próprio corpo) e vestibulares.
São muitos os benefícios:
• Melhora a postura;
• Melhora a mobilidade e a estabilidade;
• Melhora o equilíbrio, a coordenação motora e o sincronismo;
• Aumenta a força muscular e o desempenho nas atividades diárias;
• Melhora o desempenho escolar.
O Terapeuta Ocupacional é o profissional que está habilitado para avaliar e aplicar a técnica de Integração Sensorial.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...