sábado, 31 de dezembro de 2016

Feliz 2017 de toda a equipe GRHAU

Sopramos ao vento
Somente bons sentimentos
Sonhos tornando-se realidade
Vitórias em cada luta
Superação na dificuldade
Amor, paz e saúde em todos os dias!
E esperamos com todo carinho,
Que chegue até você!
Feliz 2017!
São os votos de toda a equipe GRHAU!


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Não faça comparações. Cada caso é um caso.

Em meio a tantas dúvidas e incertezas, é normal que as famílias busquem alguma referência através de comparações com outros casos semelhantes. Isso é um grande erro!
Cada criança é única, e como sempre dizemos, cada caso é um caso. As comparações podem frustrar e fazer com que momentos que poderiam ser vividos com alegria e entusiasmo, se tornem pequenos, se comparados ao desenvolvimento de outra criança.
Converse com os médicos e os terapeutas, veja como está sendo a evolução de seu filho, e principalmente, valorize cada avanço, por menor que seja! As comparações podem impedir que você veja essas vitórias e, algumas vezes, a criança pode sentir essa "cobrança" e até ficar desmotivada.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Como estimular a independência da criança com deficiência

Estimular a independência precocemente traz excelentes resultados em curto, médio e longo prazos! E essa independência pode ser um simples movimento de braço, de perna, de cabeça, um sorriso, e etc, entendendo as possibilidades e os limites de cada criança.
Quando a criança entende que pode ser ouvida, pode haver melhoras motoras, cognitivas e até comportamentais.
A mãe geralmente conhece o filho só de olhar para ele, e é natural que chegue a antecipar as respostas, não pedindo um retorno dele, por isso, sempre orientamos a família a esperar as respostas da criança, estimulando a se comunicar não apenas nas terapias, como também em casa, na escola e em todos os ambientes que ela frequenta.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Um vídeo sobre vitórias e superação!

Este vídeo é um pouco de nossos dias e diz muito sobre desafios, vitórias e superação!
Ele é cheio de amor e alegria, sentimentos que esperamos que sejam triplicados no Natal e mantidos durante todos os dias de 2017!
Feliz Natal e que o ano de 2017 seja incrível! 💚💚💚
Equipe GRHAU

video

Feliz Natal da Equipe Grhau!


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Roupas terapêuticas de correção postural. Benik, Theratogs, Spio Works, Flexcorp e Therasuit

As roupas terapêuticas de correção postural são recursos utilizados dentro e fora das terapias. Oferecem estímulos sensoriais, como por exemplo propriocepção, compressão, organização e busca de equilíbrio, alinhamento e respostas motoras. Com esses estímulos e suporte no tronco, muitas crianças conseguem se organizar melhor e as respostas motoras são otimizadas. Algumas roupas possuem tiras e velcros que podem ser fixados em diversas posições de acordo com a necessidade de cada criança.
Associados a um programa de terapias e posicionamento correto, as roupas terapêuticas auxiliam o treinamento neuromotor, postural e sensorial e contribuem para a prevenção de desvios ósseos e deformidades.
Importante! O uso das roupas no verão deve ser bem orientado, pois são roupas que esquentam e o uso prolongado pode contribuir para desidratação e/ou queda de pressão arterial da criança!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Alguns sinais de que a cadeira de rodas está ficando pequena

Nós sempre reforçamos a importância do correto posicionamento para prevenir encurtamentos e deformidades, e hoje vamos dar algumas dicas sobre a cadeira de rodas. Você sabe quais são os sinais de que ela está pequena e precisa ser trocada ou readaptada?
A adequação postural em cadeira de rodas é feita pelo Terapeuta Ocupacional, é ele quem vai orientar quanto ao melhor modelo de cadeira de rodas para cada caso e quais as adaptações necessárias.
Quando a criança fica em uma cadeira de rodas inadequada, ela pode sentir dores e todo o trabalho de reabilitação/habilitação pode ser comprometido, além de contribuir fortemente para o aparecimento de encurtamentos ou deformidades.
Fique atento!


sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Escala GMFM e GMFCS para paralisia cerebral

O GMFM (gross motor function classification) é o teste mais usado no mundo para mensurar a função motora grossa de crianças com paralisia cerebral.
Este teste pode auxiliar no acompanhamento da evolução de cada paciente e também ajudar na escolha das melhores abordagens e melhores recursos terapêuticos.
Há duas versões do teste - uma com 88 itens e a outra com 66- que são divididos em 5 grupos:
A: deitar e rolar
B: sentar
C: engatinhar e ajoelhar
D: ficar de pé
E: andar, correr e pular
O teste pode ser realizado em crianças a partir de 5 meses de idade.
O quadro abaixo mostra o Sistema de Classificação da Função Motora Grossa (GMFCS – Gross Motor Function Classification System).


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Davi: O primeiro passeio de bicicleta sozinho!

A alegria, a realização de um sonho e a superação: os sorrisos das fotos dizem tudo isso e muito mais!
Hoje foi um dia muito especial para o Davi e para todos nós: ele conseguiu andar sozinho de bicicleta pela primeira vez! Todo mundo queria isso, mas não tinha ninguém querendo mais do que ele, e ele conseguiu!
E o sorriso de orgulho e felicidade do papai?!


Motivação: a chave para melhores resultados nas terapias

As crianças que fazem terapias diariamente precisam de motivação e de recursos terapêuticos que promovam diversão e alegria.
Não é fácil para a criança ter seu corpo manuseado e trabalhado diariamente, sendo alongado, desafiado em posturas e gravidade e ainda assim continuar aceitando a terapia. Por isso, é importante entender as vontades e objetivos da criança, estabelecer uma comunicação com ela, respeitar suas respostas e seu tempo, e incorporar os objetivos terapêuticos aos recursos para atingir esses objetivos.
As brincadeiras, os desafios, as atividades sensoriais, os jogos e recursos como a parede de escalada terapêutica, o vídeo game wii (reabilitação virtual), as bicicletas e os balanços adaptados, e etc, são atividades e recursos que, além de terem objetivos terapêuticos bem definidos, também ajudam a manter a criança motivada e parte ativa da terapia, respondendo positivamente aos objetivos propostos.


segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Por que o Therasuit funciona?

Toda vez que uma criança inicia um intensivo de Therasuit, ela vai receber estímulos novos e intensos, muitas vezes diferentes dos estímulos das terapias diárias, isso faz com que o cérebro receba uma intensa carga de informações novas, e com isso, novas conexões cerebrais vão se formando, resultando em melhoras motoras e cognitivas. É como um grande desafio para o cérebro, que já está "acostumado" aos estímulos diários.
Os pilares dos intensivos de Therasuit são, portanto, intensidade, frequência e repetição. São estímulos corretos e estrategicamente pensados para cada criança.
O Therasuit é baseado nas necessidades individuais da criança. É um método que baseia-se em um programa terapêutico intenso e específico, que tem o objetivo de eliminar ou minimizar reflexos patológicos e estabelecer novos padrões de movimento, corretos e funcionais.
A experiência do terapeuta aliada a recursos modernos de reabilitacao, maximizam os resultados.


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Dicas para as férias de crianças com deficiência

No período de férias algumas famílias têm dificuldade para fazer uma rotina de terapias e brincadeiras em casa ou mesmo nas viagens.
Algumas atividades podem gerar um bom repertório para a escola e para as terapias quando a criança voltar das férias.
• Fotografe os passeios, as viagens, as pessoas, os brinquedos e todas as atividades que a criança participar, esse material pode gerar um conteúdo muito rico para trabalhar a comunicação e a linguagem na volta as aulas!
• Faça uma agenda de atividades e a rotina dos dias nas férias;
• Converse com as terapeutas para saber como dar continuidade ao conteúdo trabalhado na escola e nas terapias através da brincadeira;
• Peça orientação aos terapeutas para organizar o uso de andadores, órteses e parapodium, e se é possível / necessário fazer alongamentos e massagens;
Mas lembre-se sempre que é um período de lazer, brincadeiras e descanso. Converse com os terapeutas para programar as atividades, as brincadeiras e os passeios, mas acima de tudo, aproveite para curtir muito seu filho, ficar juntinho e descansar, para poder iniciar mais um ano intenso!


9 de Dezembro: Dia do Fonoaudiólogo!

"Sempre ouvem com cuidado.
Sabem da importância do diálogo.
Muitas vezes, são os responsáveis pelas primeiras respostas de comunicação das crianças com deficiência.
Tem todo o carinho para alimentar o corpo e nutrir a alma."
Parabéns a todos os fonoaudiólogos! Principalmente as nossas fonos super especiais: Vera Bailão e Ana Júlia! 💚💚💚
Um carinho de toda a equipe GRHAU!


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

A terapia CrânioSacral na Paralisia Cerebral

Hoje vamos falar sobre a Terapia CrânioSacral. Aqui na clínica nós percebemos como as crianças com deficiência sentem os benefícios da terapia, com melhora na qualidade do sono, nos problemas digestivos, na espasticidade e em diversos outros problemas.
A terapia CrânioSacral é capaz de identificar problemas, dores e bloqueios sentindo o corpo do paciente através de um toque suave e analisando a resposta do corpo a esse toque.
Resumidamente, o próprio corpo vai buscar o equilíbrio ou o alívio do desconforto através de uma auto-correção feita através do toque do terapeuta em determinadas regiões do corpo.
Nosso corpo tem uma "engenharia" incrível, do topo do crânio até a ponta dos dedos, há um complexo sistema ligado por ossos, ligamentos, músculos, nervos, tendões e pele. E todo esse sistema está interligado e conectado.
Por exemplo, vamos supor que você tenha torcido seu tornozelo; além da dor local, você pode sentir também muita dor de cabeça, e por que isso acontece? Partindo do princípio de que você é um complexo sistema todo interligado, a torção no tornozelo vai impactar o resto de seu corpo para proteger esse tornozelo, mantendo-o seguro e reduzindo a resposta à dor. O problema é local, no seu tornozelo, mas através de seu sistema interligando todo o seu corpo, uma torção que desestabiliza a postura de todo o seu corpo, vai alterar ou desencadear problemas em outras regiões.
O terapeuta CrânioSacral strabalha para aliviar a dor identificando bloqueios, restrições ou mesmo áreas sob estresse localizadas nesse sistema. Essa "liberação" é feita através de um toque suave ou manuseio de tecidos corporais.
Em crianças com deficiência, as dificuldades motoras podem gerar um desequilíbrio nesse sistema, que podem ser difíceis de serem constatados - dores, dificuldade para dormir, irritabilidade, choro, e etc, podem ser melhorados através da terapia crânio-sacral.
Aqui vai o link do relato de uma mãe que percebeu a grande melhora na qualidade do sono do filho, que tem paralisia cerebral. O relato está em inglês!





sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Atendimento conjunto de Fisio + TO com Eletroestimulação Neurofuncional

O atendimento conjunto de Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional traz muitos benefícios para o paciente e os resultados são otimizados.
Geralmente a Fisio trabalha grandes grupos musculares, enquanto a TO posiciona corretamente a criança e trabalha habilidade motora fina, dessa forma, muito mais grupos musculares são trabalhados de forma geral e específica.
Nesta atividade, a Fisio, Janice, e a Terapeuta Ocupacional, Maisa, utilizaram a Eletroestimulação Funcional para ajudar no posicionamento adequado, controle de tônus muscular e estímulo em grupos musculares que auxiliam o sentar, além disso, elas também trabalharam atenção, concentração e habilidade motora fina.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Você sabia que é possível manter o resultado da terapia por horas?

Sim, é possível e ainda ajuda muito no processo de reabilitação/habilitação da criança.
Durante a terapia fazemos os manuseios corretos para deixar a criança alinhada, com tônus mais próximo possível do normal, alongamento ativo, força muscular, e etc.
Para que o efeito da terapia seja estendido é necessário deixar a criança muito bem posicionada após o término da terapia, seja em uma cadeira de rodas ou mesmo a cadeira do carro. Quanto mais tempo ela permanecer no posicionamento correto, mais tempo sentirá os benefícios da terapia, o que a longo prazo, significa ganhos motores e desenvolvimento!
Resumidamente, há um "conflito" quanto entramos com os manuseios corretos, pois o cérebro está "acostumado" ou "entende" apenas o padrão neurológico incorreto. A frequência dos manuseios corretos trabalhando alinhamento, tônus mais próximo do normal e função correta de membros inferiores e superiores, faz com o padrão correto prevaleça sobre o padrão incorreto, e é aí que os ganhos motores acontecem.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Dicas de alimentação para a criança com deficiência motora e disfagia

Crianças com deficiência motora podem ter muitas dificuldades para se alimentar. Isso acontece, pois a deglutição e a fala também fazem parte do sistema motor!
Em muitos casos há um distúrbio sensorial também, de forma bem simples podemos dizer que as crianças sentem demais ou de menos, por isso é importante preparar a criança para cada refeição, e aqui vão algumas dicas:
* Alongar a musculatura oral;
* Estar atento para a criança estar bem posicionada;
* Inserir bem lentamente as texturas e temperaturas para que a criança se acostume com essas sensações e consiga aceitar melhor o alimento;
* Deixar a criança colocar as mãos na comida;
* Fazer pratos coloridos, divertidos e atrativos;
* Transformar o momento da refeição em algo prazeroso;
* Deixar o ambiente calmo.
O trabalho de um Fonoaudiólogo especialista em disfagia é essencial! O profissional vai acompanhar todo o processo, sugerir alternativas e trabalhar todo o sistema orofacial.


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Marcha Cruzada ou Tesourada: o que fazer?

A marcha em tesoura, também conhecida como marcha espástica, pode acontecer por diversos fatores.
No início a criança não consegue integrar um reflexo primitivo - o que está presente no bebê nos primeiros meses de vida - chamado de reflexo extensor cruzado, e a partir daí os músculos adutores do quadril podem se tornar encurtados, provocando a adução das coxas, fazendo com que os joelhos fiquem cruzados, semelhante à uma tesoura; a marcha cruzada também pode ocorrer por tensão, quando a espasticidade acentuada promove a marcha em adução (tesoura) e geralmente os pés ficam em ponta.
É muito comum em pacientes com paralisia cerebral e com espasticidade de membros inferiores.
O que fazer?
• Atuação do Fisioterapeuta e o Terapeuta Ocupacional;
• Acompanhamento do Ortopedista;
• Fazer Raio-x de quadril e pés frequentemente;
• Possibilidade de aplicação de Botox;
• Uso frequente de parapodium, talas extensoras de pernas e órteses (quando houver indicação).
É muito importante ficar atento para que o problema não evolua para desvios ósseos importantes e até mesmo uma cirurgia de grande porte.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Intensivo de Therasuit da Maria Heloísa!

A Maria Heloísa veio de Teixeira de Freitas, na Bahia, para o seu primeiro intensivo de Therasuit!
Ela é uma guerreira que uniu muita gente em prol de uma causa, gente que acreditou e acredita nela, gente que se mobilizou para que ela pudesse estar aqui!
"O sonho sonhado por muitos não é sonho, É REALIDADE! E #nósacreditamos

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Bia e Ciça: amizade no Therasuit

"Tudo que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado."
Bia e Ciça, amizade feita no #therasuit 💚💚💚


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Como escolher o andador ideal?

O treino de marcha é uma parte importante do trabalho de reabilitação, e uma das dúvidas é quanto ao tipo de andador mais adequado em cada caso.
É necessário que a criança tenha a musculatura preparada, tendões com amplitude adequada e alinhamento ósseo.
É importante ressaltar que o andador pode ser utilizado como recurso terapêutico em crianças com ou sem o prognóstico de marcha.
O tipo de andador varia de acordo com a necessidade de cada criança. Crianças que já estão treinando a marcha independente, precisam apenas de um apoio para os braços e as mãos.
Já as crianças que não tem total controle de tronco, precisam de apoio de quadril, tronco, braços e mãos.
E as crianças com controle de cabeça insuficiente, precisam de todos os apoios, quadril, tronco, cabeça, braços e mãos.
Existem acessórios que impedem o cruzamento das pernas e proporcionam melhor alinhamento.
O andador, quando indicado, é para auxiliar na marcha e estes recursos adaptativos são recurso facilitadores e devem ser
indicados de acordo com a necessidade de cada criança.
Porém, o tipo de andador precisa ser muito bem indicado! Algumas crianças desenvolvem padrões errados ao trocar passos, forçam a lombar e, mesmo com todas as adaptações, o treino de marcha acaba sendo até prejudicial, por reforçar padrões negativos.
Por isso, é importantíssimo que a correta indicação seja feita e que os terapeutas acompanhem o desenvolvimento da criança para identificar se está sendo realmente positivo para cada paciente.


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Como alternar o posicionamento de crianças com deficiência motora

Uma das maneiras de prevenir encurtamentos e deformidades é cuidar do posicionamento o mais cedo possível, porém, há uma dificuldade em manter o bom posicionamento durante o dia inteiro.
Além de alternar em diversas posições e prevenir o aparecimento de escaras, o bom posicionamento, aliado aos recursos corretos e indicados, pode trazer melhor qualidade de vida, ajudar a criança a explorar o meio e estimular a ampliação do campo visual.
A correta adequação e indicação dos equipamentos mais adequados para cada caso é feita pelos terapeutas.


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Dia Mundial da Prematuridade

Nosso carinho aos guerreiros e lutadores que já iniciam a vida com uma batalha gigante a ser vencida!


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Trabalhando atenção e concentração com luvas!

Uma das atividades da terapia de Integração Sensorial é o trabalho da atenção e da concentração.
A Lorena, após passar por outras atividades como por exemplo o balanço, em que trabalhamos a atenção, a organização e a sequencia lógica, brincou com as luvas cirúrgicas. Nós recheamos as luvas com gel, arroz, soja, grão de bico, bolinhas e botões coloridos.
Durante a atividade trabalhamos a atenção, a concentração, a habilidade motora fina, a organização sensorial e a sensação de diversos tipos de textura.
Com essa atividade conseguimos manter a atenção e a concentração da Lorena por mais tempo e ela ainda se divertiu muito!


segunda-feira, 14 de novembro de 2016

O Therasuit é o mesmo para todos os pacientes?

Embora o Therasuit siga um protocolo, cada paciente é visto de uma maneira única. Durante a avaliação inicial entendemos quais as necessidades e possibilidades de cada criança e estabelecemos objetivos e metas para cada semana de intensivo. Também identificamos quais os recursos terapêuticos, além da gaiola e da roupa de elásticos, que vão contribuir para que o paciente evolua.
É por isso que no Therasuit, a experiência e a formação do Terapeuta fazem toda a diferença no resultado, ou seja, quanto mais preparado e experiente for o terapeuta, melhores serão os resultados.
Na foto está a querida, Ciça, que tem Mielo, e voltou para seu quarto intensivo de Therasuit!
Para esta etapa, o treino de marcha é o grande objetivo! Estamos treinando equilíbrio em pé, marcha na esteira, marcha com muleta de 4 pontas e os passos sozinha.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

O que é a Rizotomia Dorsal Seletiva?

Você sabia que a Rizotomia é uma cirurgia para melhorar a Espasticidade causada pela Paralisia Cerebral?
A rizotomia dorsal seletiva - RDS (Selective Dorsal Rhizotomy - SDR), ou a rizotomia superseletiva dorsal é um procedimento cirúrgico que consiste na inativação de parte dos nervos (raízes), que conectam os músculos à medula.
O objetivo da rizotomia é a melhora da espasticidade nos membros inferiores, percebida logo após o procedimento, com movimentação mais fácil e sem muita resistência. Porém, é preciso ter muita cautela, pois nem sempre a espasticidade precisa ser completamente retirada, muitas crianças se utilizam dela para ficar em pé ou mesmo sentada.
A força dos membros inferiores geralmente fica diminuída após o procedimento e, com fisioterapia intensiva, a força pode retornar após os 6 primeiros meses (em alguns casos pode levar até dois anos). Além disso, muitos outros benefícios podem ocorrer:
- Melhora de coordenação e da distonia;
- Melhora no equilíbrio e na espasticidade de tronco;
- Melhora da deglutição;
- Melhora nas crises de espasmos;
- Menor ocorrência de deformidades nos membros;
- Menor necessidade de medicações para espasticidade;
- Menor necessidade de aplicação de toxina botulínica;
- Em pacientes com potencial de marcha, existe a possibilidade de andar com algum apoio, ou até mesmo sozinho.
É importante uma avaliação multidisciplinar para avaliar a real necessidade da cirurgia e também avaliar outras possibilidades cirúrgicas ou de tratamento para a espasticidade, pois nem toda criança com espasticidade tem indicação para a rizotomia dorsal seletiva, e assim como todo procedimento cirúrgico, há riscos.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Como funciona a clínica GRHAU?

Recebemos muitos contatos de famílias que querem saber como a clínica GRHAU funciona, então vamos falar sobre isso hoje:
INTENSIVOS DE THERASUIT
4 semanas de terapia, com 3 horas de atendimento por dia, 5 dias por semana (segunda a sexta-feira). Em crianças pequenas ou que tenham alguma restrição, a quantidade de horas diárias do Intensivo pode ser menor ou até mesmo dividido em duas partes (manhã e tarde).
Recebemos muitos pacientes de outras cidades e outros Estados, que vêm ao GRHAU para os intensivos de Therasuit. Eles passam um mês conosco e retornam as suas cidades com orientações de como dar continuidade à terapia até que possam retornar. Também recebem orientação e indicação de uso de órtese, talas extensoras, coletes de posicionamento, cadeira de rodas, parapodium, andador, e etc.
TERAPIAS DIÁRIAS
Também atendemos os pacientes de São Paulo para as terapias diárias, com Fisio, Fono, Terapia Ocupacional e Therasuit.
AVALIAÇÃO
Recebemos pacientes que vêm para avaliação, para orientarmos quanto ao uso de equipamentos, periodicidade das terapias, principais objetivos a serem trabalhados, e etc.
CONVÊNIOS
Aceitamos os convênios: Omint, Mediservice, Careplus e Abet, para os demais convênios damos recibos e relatórios para que a família solicite o reembolso.
Para agendar uma avaliação ou mesmo para conhecer a clínica, entre em contato conosco inbox ou por telefone: (11) 5579-7909.


segunda-feira, 7 de novembro de 2016

A preparação para o treino de marcha

Existe uma preparação para o treino de marcha, que vai além da criança ter atingido esse patamar de desenvolvimento. Para que a marcha aconteça é necessário ter um corpo preparado para isso:
* Músculos e tendões com amplitude adequada;
* Quadril sem luxação;
* Pés sem deformidades graves;
* Boa condição cardiovascular;
* Força muscular e equilíbrio.
Outro aspecto muito importante é a cognição, a criança precisa ter a compreensão da marcha, a vontade, a integração sensório-motora e as funções corticais superiores que permitam que a marcha aconteça.
Por isso há um longo caminho para chegar nesse ponto, pois vamos trabalhando cada detalhe para que a criança chegue preparada para que o treino evolua corretamente.
Entre treinos motores, de equilíbrio e coordenação motora global, e durante o processo, podemos utilizar alguns recursos com a finalidade de intensificar o treino e a aquisição voluntária da marcha, como por exemplo a esteira, os andadores, as barras paralelas, as rampas, as escadas, entre outros.


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Mães especiais, filhos especiais!

Ao lado de cada criança evoluindo, existe uma família acreditando incondicionalmente!

Bom final de semana!


quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Como é o pós-operatório da cirurgia de quadril?

A cirurgia de quadril luxado tem como objetivo posicionar a cabeça femoral no acetábulo, para que fique estável e sem a possibilidade de sair novamente de sua posição, preservando a estrutura óssea e a mobilidade.
Após a cirurgia, é feito um aparelho de gesso que imobiliza toda a região operada, partindo da região um pouco acima do quadril e se estendendo até o pé. Esse tipo de imobilização chama-se gesso pelvepodálico. As pernas são imobilizadas e mantidas afastadas através de uma barra unindo o gesso. Há uma abertura no períneo para que a criança possa urinar e evacuar.
Durante o uso do gesso, é muito importante reforçar os cuidados de higiene do períneo, trocando as fraldas frequentemente, para que não haja contaminação das feridas operatórias e mantendo a integridade do gesso durante todo o período de uso.
Também é muito importante a comunicação frequente entre a equipe cirúrgica, a família e os terapeutas.
Durante o uso do gesso são feitos exames de imagem para analisar a manutenção da correção articular. Além disso, os médicos avaliam a integridade do gesso e inspecionam as feridas operatórias.
Em alguns casos há uma segunda etapa pós-operatória em que a criança precisa ser examinada sob anestesia e no centro cirúrgico, para que sejam feitos exames radiológicos confirmando a manutenção da posição articular e a troca do gesso que, passa a ser em dupla abdução, ou seja, só imobiliza as pernas (da coxa até os pés), mantendo a barra de união entre os gessos mas, permitindo a criança os movimentos de sentar e deitar (flexão e extensão), sem o risco do quadril perder a posição.
Após a retirada do gesso a criança precisa ser avaliada frequentemente pelo ortopedista e retomar a rotina de terapias.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

A Espasticidade e as Deformidades



Você sabia que o tônus aumentado também contribui para as deformidades ósseas?
A força da musculatura espástica pode contribuir para deformidades nos pés, nas mãos, nos braços, nas pernas e na coluna.
Para evitar as deformidades causadas pela hipertonia, pode-se considerar:
* Posicionamento adequado;
* Boa adequação postural na cadeira de rodas, cadeira do carro, cadeira de banho, mesa e cadeira da escola, e etc;
* Uso da cadeira de rodas o quanto antes (quando houver indicação);
* Evitar o uso prolongado de carrinhos de passeio sem adequação postural adequada;
* Uso de órteses e talas extensoras;
* Uso frequente do parapodium;
* Manuseios adequados nas sessões de fisioterapia e terapia ocupacional;
* Uso de recursos terapêuticos (quando houver indicação), como por exemplo: a plataforma vibratória e a eletroestimulação neurofuncional, que atuam para regular o tônus.


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Hipotonia: Como tratar?

A hipotonia tem como principal característica a diminuição do tônus muscular. Os bebês com hipotonia apresentam pouca movimentação, muitas vezes dificuldade para mamar, dificuldade de levar a mão à boca, de pegar objetos, e etc.
O diagnóstico é feito geralmente no nascimento ou nos primeiros meses de vida.
A Hipotonia pode ser familiar ou mesmo ter outras causas, como por exemplo, as más formações cerebrais, as síndromes metabólicas e as doenças neuromusculares. É muito importante tentar descobrir a causa com o neurologista e o geneticista para sabermos quais os tratamentos e recursos terapêuticos adequados.
A estimulação precoce é o melhor tratamento para as crianças hipotônicas e, dependendo das dificuldades da criança, o tratamento pode envolver Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional e Fonoaudiólogo. Os profissionais vão trabalhar principalmente a postura, a coordenação motora, a musculatura orofacial e o fortalecimento muscular, além de prevenir problemas ortopédicos.
Fazemos uma cuidadosa avaliação para definir quais os recursos terapêuticos mais indicados e qual a fase que a criança se encontra.
O Therasuit e a plataforma vibratória apresentam excelentes resultados, mas não são indicados para todas as crianças hipotônicas, por isso é importante ter os laudos médicos para que possamos orientar quanto aos melhores recursos e tratamentos.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

A Polia nos Intensivos de Therasuit

Uma das atividades realizadas durante o intensivo de Therasuit é o uso da Polia, que é uma roldana com cordas e peso na extremidade, e pode ser colocada nos pés, nos braços ou nas pernas.
A Polia permite que trabalhemos músculos que geralmente não são utilizados pela criança devido aos problemas neurológicos, que culminam em um desequilíbrio muscular.
Deve-se haver um raciocínio bem preciso das terapeutas para que o trabalho com a Polia seja eficaz. É essa análise cuidadosa que vai determinar:
• O objetivo;
• O peso que será colocado;
• Os grupos musculares que precisam ser trabalhados;
• Por quanto tempo será utilizada;
• Os tipos de exercício que serão feitos;
• A finalidade;
• A angulação correta;
• E tudo que é necessário ser trabalhado em cada criança, sendo portanto, uma avaliação que além de cuidadosa e precisa, também é estritamente individual.
Trabalhando os grupos musculares adequados, os músculos ficam mais fortes, a postura fica mais consciente e a criança torna-se mais apta a mover-se e ganhar autonomia!


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Como escolher recursos terapêuticos e métodos de reabilitação

Não há método ou recurso terapêutico que funcione para todas as crianças, há métodos e recursos cuidadosamente indicados para cada caso.
Aqui no GRHAU, fazemos uma completa avaliação para entender as necessidades de cada criança, e assim, potencializar os resultados das terapias.
É por isso que investimos constantemente em cursos e compra de equipamentos.
Aqui no GRHAU trabalhamos com diversos recursos e equipamentos:
• Gaiola de atividades do Therasuit;
• Plataforma vibratória;
• Lycra suspensa;
• Parede de esacalada terapêutica;
• Eletroestimulação funcional;
• Prancha de deslocamento;
• Andadores;
• Esteira;
• Recursos de integração sensorial;
• Bolas e rolos;
• Espaldar;
• MPS Therapy.


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O que é Mielomeningocele

A mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, é uma malformação congênita da coluna vertebral em que as meninges, a medula e as raízes nervosas ficam expostas.
Mielomeningocele é o tipo mais comum e também a mais grave de espinha bífida.
O comprometimento neurológico na mielomeningocele é comum, incluindo alguns sinais e sintomas:
• Fraqueza muscular nas pernas ou perda de movimentos;
• Perda de controle e demais problemas intestinais e da bexiga;
• Insensibilidade parcial ou total;
• Convulsões;
• Problemas ortopédicos, como pés tortos, quadris irregulares e escoliose;
• Hidrocefalia;
• Presença de pelos na parte posterior da pélvis (região sacral);
• Dificuldades de aprendizagem e problemas com a linguagem podem ocorrer.


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Elestroestimulação Funcional

No último final de semana, nossa fisioterapeuta, Janice, participou do Curso de Eletroestimulação Funcional, com a norte americana, Judy Carmuck.
A estimulação elétrica é um excelente recurso terapêutico no tratamento das crianças com paralisia cerebral, agindo diretamente nos músculos espásticos, na musculatura postural e durante o treino de atividades físicas, como por exemplo a marcha. Os benefícios são globais, servindo como ótimo estímulo para auxiliar no controle de cabeça, de tronco, para sentar melhor, brincar melhor, e etc. Também é indicada para crianças com mielomeningocele e outras patologias, estimulando a musculatura fraca e obtendo vários outros benefícios.
Há mais benefícios, como por exemplo:
• Melhora da amplitude de movimento;
• Diminuição da espasticidade;
• Menor resistência ao alongamento passivo ou à movimentação;
• Melhora da postura;
• Auxilia no trabalho de função de braços e pernas.
• Auxilia no treino de marcha;
• Auxilia no tratamento de escoliose.


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Bandagem Terapêutica ou Kinesio Taping

A Bandagem Terapêutica ou Kinesio Taping é um recurso muito utilizado na reabilitação infantil. O objetivo da bandagem é auxiliar o corpo a buscar seu equilíbrio nos intervalos das sessões de terapias.
A bandagem promove estímulos sensoriais e mecânicos duradores e constantes, e pode ser aplicada por um período de 3 a 5 dias, podendo durar até 7 dias, isso vai depender da técnica, do objetivo e da sensibilidade da pele do paciente.
Há diversos benefícios:
• Auxilia a correção postural;
• Melhora a circulação sanguínea e linfática;
• Pode reduzir dores;
• Correção biomecânica articular e de funções musculares;
• Facilitação ou limitação de movimentos;
• Estabilização de articulações, podendo auxiliar na prevenção de luxações;
• Pode ajudar no controle da deglutição da saliva;
• Relaxamento muscular.
Apenas a aplicação da bandagem não garante resultados significativos, é necessário estar associada as terapias como recurso de apoio.
Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais ou Fonoaudiólogos são os profissionais que podem utilizar em seus atendimentos.

sábado, 15 de outubro de 2016

Dia do Professor. Parabéns!

Parabéns pelo dia do Professor! Principalmente àqueles que acreditam e praticam a inclusão escolar! 



quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Feliz dia das crianças!

Feliz dia das crianças!
Aproveitem cada segundo com seus pequenos!

"Ser criança é acreditar que tudo é possível.
É ser inesquecivelmente feliz com muito pouco.
É se tornar gigante diante de gigantescos obstáculos.
Ser criança é fazer amigos antes mesmo de saber o nome deles.
Ser criança é ter o dia mais feliz da vida, todos os dias.
Ser criança é o que a gente nunca deveria deixar de ser."


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...