quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Artista faz mergulho e pinturas sobre cadeira de rodas





Sue Austin é uma artista multimídia que realiza diversas performances e instalações. Mas uma doença prolongada passou a dificultar sua locomoção, e mudou a forma como ela poderia acessar o mundo. "Eu vi minha vida passando e se tornando restrita", lembra ela. "Quando eu comecei a usar a cadeira de rodas há 16 anos, foi uma liberdade tremenda... Eu podia deslizar e sentir o vento no meu rosto novamente. Apenas estar na rua era emocionante".

Ela afirma que sua experiência em uma cadeira de rodas influenciou sua arte e sua perspectiva sobre o mundo. No entanto, ela percebeu que as pessoas começaram a tratá-la de forma muito diferente.

"Era como se elas não pudessem me ver mais, como se uma capa de invisibilidade tivesse caído sobre mim. As pessoas pareciam me ver em termos de suas suposições sobre como deve ser estar em uma cadeira de rodas. Quando eu perguntei com o que elas associavam a cadeira de rodas, elas usaram palavras como 'limitação', 'medo', 'pena' e 'restrição'. Eu sabia que eu precisava escrever minha própria história sobre esta experiência".

Em 2009, ela fez uma série de pinturas chamada "Traços de uma cadeira de rodas", em que usou tinta nas rodas de sua cadeira para criar circuitos graciosos em enormes folhas de papel e no gramado em frente à galeria onde foi feita a exposição.


"A cadeira de rodas se tornou um objeto para pintar e brincar. Foi emocionante ver a reação interessada ​e surpresa das pessoas. Parece que novas perspectivas se abriram", afirma ela.


Sue Austin ajudou a fundar a Freewheeling, uma iniciativa para expandir os limites das deficiências nas Artes. Em seus trabalhos, ela mostra como a diferença entre a forma como ela vê a si mesma e como os outros a vêem inspira a sua arte, que desafia a noção tradicional de deficiência. E compartilha a alegria que sente em experimentar o mundo a partir de sua cadeira.

Mas suas experimentações não terminaram aí. Em 2005, Sue fez seu primeiro mergulho de profundidade, e sentiu uma liberdade de movimentos inimaginável. Resolveu então fazer o mesmo mergulho também na cadeira de rodas. Ela pediu ajuda a engenheiros e acadêmicos para equipar a cadeira com dois propulsores acoplados no banco e duas ‘nadadeiras’ de acrílico para conseguir manobrar.


A princípio ela recebeu muitas objeções, mas não desistiu. O trabalhou exigiu treinamento físico intenso - e uma equipe técnica criativa. O resultado foram lindos movimentos na água que mais parecem voos e acrobacias silenciosas, conforme você pode conferir no vídeo no início deste post.


O projeto está ganhando notoriedade, incentivando e possibilitando outras pessoas com deficiência a vivenciarem novas e libertadoras experiências por meio das artes e por meio da mágica do mergulho.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Parque temático na Hungria aborda inclusão social de pessoas com deficiência

 
Adultos e crianças experimentam as dificuldades de se locomover com uma cadeira de rodas

Um parque temático na Hungria tem se destacado ao usar atividades lúdicas e brincadeiras para que as pessoas se familiarizem com os diferentes tipos de deficiência existentes. No Ability Park, ou Parque das Habilidades, em Budapeste, os visitantes participam de jogos e precisam cumprir desafios comuns às pessoas com alguma deficiência. 

Os guias são especialistas no assunto: cadeirantes, deficientes visuais, auditivos e intelectuais são responsáveis por conduzir o público nessa aventura. 

Visitantes participam de jogo com a linguagem de sinais no Ability Park, em Budapeste (Foto: Divulgação/Visite Hungria
Entre as atividades que a equipe propõe estão o percurso de obstáculos utilizando cadeira de rodas, jogos de lógica e memória usando linguagem de sinais, testes de tato e olfato, labirinto às cegas e workshops.

Cadeirantes mostram aos visitantes truques de como lidar com as dificuldades na pista de obstáculos. Monitores com deficiência auditiva conduzem as pessoas nas atividades de lógica e jogos de memória baseados na língua de sinais. Já os guias com deficiência visuais ou cegos são responsáveis por ajudar o público a testar seu senso de olfato e tato. É possível também conhecer a Miracle City, uma cidade virtual em que o visitante deve tentar descobrir suas leis, sendo orientados por deficientes intelectuais.

Visitantes participam jogos de olhos vendados para estimular o tato

A proposta é ajudar as pessoas a se familiarizarem com a vida das pessoas com deficiência de uma forma interativa e divertida, facilitando uma mudança de atitude e a inclusão social.

O parque recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais pela sua proposta de educação e conscientização por meio do entretenimento.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Pai cursou faculdade de jornalismo ao lado do filho com paralisia cerebral para ajudá-lo a se formar



 Manuel Joaquim Condez, de São Paulo, é um grande exemplo de amor incondicional de pai para filho. Além de sempre estar envolvido na criação e nos cuidados do filho Marco Aurélio, de 27 anos, que tem paralisia cerebral desde que nasceu, ele ainda dedicou quatro anos de sua aposentadoria para acompanhar o filho nas aulas da faculdade, ajudando-o a realizar o grande sonho de se tornar jornalista.

Marco Aurélio tem disfunção dos braços e das pernas e por isso sempre precisou de um acompanhante durante as aulas. Nos tempos de escola foi preciso contratar os serviços de acompanhantes profissionais, pois a instituição não autorizou a presença do pai durante as aulas. Já na faculdade, Manuel pôde finalmente acompanhar o filho em sala de aula, ajudando-o a superar suas limitações físicas e estudar.

Juntamente com Manuel, toda a família sempre ofereceu apoio irrestrito ao jovem. E com muita determinação, dedicação e com a ajuda especial do pai, Marco Aurélio superou os obstáculos e obteve o diploma da faculdade.

Apesar dos receios iniciais de como seria a experiência de estarem juntos em sala de aula, o pai conta que os dois foram bem aceitos por colegas e professores, que o trataram como um colega de sala e não como o pai do Marco.
O filho também afirma que a postura do pai de sempre apoiá-lo e respeitar suas decisões foi importante para seu sucesso no curso. “Quando eu tinha dúvidas, meu pai opinava, mas a decisão final era sempre minha. Ele nunca interferiu e nem interfere nas minhas escolhas”.


O exemplo de amor, determinação e superação de pai e filho conquistou colegas e professores, que ofereceram todo apoio à dupla ao longo do curso e deram confiança a Marco para concluir a graduação.

O rapaz lembra que a ajuda que recebeu e ainda recebe de Manuel não se limita apenas à parte física, mas também emocional. “Ele é fundamental para que eu supere os obstáculos, me dá força e me incentiva. Me faz sentir como se eu pudesse fazer tudo. Sou muito grato a ele por toda a sua dedicação, pois eu não teria condições de cursar a faculdade sem a presença de um acompanhante. Em casa, ele me dá banho, me veste e faz tudo que exige força física de mim. Já na faculdade, ele foi minhas mãos”.

Agora Marco enfrenta novos desafios. Está em busca de ingressar no mercado de trabalho para exercer a profissão em que se formou, o não é fácil para nenhum jovem recém-formado. “Hoje escrevo para o meu blog pessoal, onde faço comentários e análises sobre assuntos ligados ao futebol. Ainda não sei de que forma, mas pretendo trabalhar”, revela.




Manuel segue ao lado do filho, o apoiando e encorajando de todas as formas possíveis em busca das novas conquistas. “Espero que meu filho tenha uma ocupação que preencha sua vida. Ele quer ser reconhecido pelo seu trabalho e não pela sua condição física”.

Um belo exemplo para nos inspirar nesse Dia dos Pais, e para lembrarmos todos os pais que se fazem presentes na vida de seus filhos, acreditando, apoiando e lutando em busca de sua realização.

Fonte: Site Terra

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Como a mente pode influenciar positivamente na recuperação do corpo

Existem cada vez mais evidências científicas da influência da mente nos processos de recuperação do corpo

Pesquisas recentes revelam  que exercícios de visualização e relaxamento exercem importante papel na recuperação de processos inflamatórios, como após cirurgias, por exemplo.

Uma pesquisa realizada na Escandinávia acompanhou o pós-operatório de pessoas que passaram por uma operação no ligamento cruzado anterior do joelho. Durante seis meses, todos os voluntários receberam os cuidados médicos necessários, mas metade deles foi instruída pelos pesquisadores a ensaiar mentalmente, com regularidade, os exercícios da fisioterapia e a visualizar o processo fisiológico de recuperação – por exemplo, o tecido fibroso se reestruturando. Os participantes que aplicaram a técnica de visualização apresentaram maior estabilidade no joelho e menores níveis de hormônios do estresse.

A conclusão dos pesquisadores é que esses exercícios de visualização ajudaram os pacientes a confiarem mais na própria recuperação, com efeitos positivos.O estudo foi publicado no Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports.

Outra pesquisa, divulgada em fevereiro de 2012 na Brain, Behavior and Immunity, avaliou pacientes que tiveram a vesícula biliar removida. Os pacientes foram divididos em dois grupos e um deles fez exercícios de visualização guiada, com técnicas de relaxamento, durante três dias antes da operação e na semana seguinte. 

“O relaxamento ajuda a reduzir o estresse, o que influencia positivamente no sistema imunológico, melhorando a resposta ao processo inflamatório”, explica Elizabeth Broadbent, co-autora do estudo e professora de medicina da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia. 

Os exercícios pré-cirurgia focavam em estar relaxado e pronto para a operação; os outros eram direcionados à recuperação do corpo. Os participantes eram incentivados a imaginar, por exemplo, oxigênio e nutrientes chegando ao local operado e contribuindo para a sua reconstrução, diminuindo o desconforto e trazendo alívio.

O grupo que realizou os exercícios de visualização e relaxamento apresentou menos estresse e sinais mais evidentes de recuperação nas áreas operadas, sendo que o tratamento clinico recebido pelos dois grupos de pacientes foi igual.

Embora ainda haja muito a ser descoberto pela ciência sobre o poder da mente, é certo que a autoconfiança, o controle do estresse e o otimismo são grandes aliados nos processos de recuperação e reabilitação, além de todo o tratamento clínico e terapêutico tradicional.


quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Fantasias em cadeiras de rodas alegram crianças

Maria Luiza, de 4 anos: roupa e carruagem de princesa para a fantasia de Carnaval
Já essa princesinha ganhou uma linda carruagem iluminada para a festa de Halloween

Ideias criativas para fantasiar cadeiras de rodas fazem a alegria de crianças com deficiência física e dificuldade de locomoção. Nos Estados Unidos, um pai fez uma adaptação muito especial na cadeira de rodas da filha para ela participar das festas de Halloween: transformou-a em uma carruagem de princesa toda iluminada.

Cadeira temática do sertão faz parte da fantasia
do menino Rinaldo, de 12 anos
Aqui no Brasil, outra iniciativa foi feita na AACD de Recife durante o carnaval deste ano, para 50 crianças. Além das fantasias para os pequenos, as cadeiras de rodas e muletas foram transformadas em pequenos carros alegóricos, com apoio de uma estilista, um cenógrafo e um artista plástico.

Os figurinos foram desde batmóvel, mesa de DJ até carruagem de princesa e traje típico de Luiz Gonzaga.

Lídia Arruda, avó de Maria Luiza, que ganhou a fantasia de princesa, expressa o que esse gesto representa: "A sociedade precisa olhar para estas crianças não com aquele olhar de dó, de piedade, mas com o olhar de integração, pois elas também são capazes de estar inseridas em todo o meio".

A coordenadora de voluntariado da instituição, Anelise Barbosa, destaca a importância de as crianças poderem também enfeitar as cadeiras: “É a oportunidade de integrar as muletas e cadeiras à festa. É um diferencial muito grande, é a coisa do ser aceito, de estar junto das outras pessoas e vivendo um momento que é da nossa cultura, de poder participar do desfile de fantasias.”



Ideias criativas para cadeiras temáticas dos meninos: mesa de DJ e batmóvel

Arcos decorados com fitas presos às laterais da cadeira compõem as janelas da carruagem da princesa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...