quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Projeto vai mapear a acessibilidade nas ruas de São Paulo



Se locomover por São Paulo não é fácil para ninguém. Ainda mais para quem tem alguma dificuldade de locomoção. Calçadas esburacadas, árvores mal localizadas, obras no meio do caminho, ausência de rampas ou rampas mal feitas, enfim, são muitos os desafios existentes para quem é cadeirante, anda com auxílio de muletas ou é deficiente visual, por exemplo.

Para melhorar a vida destas pessoas, um projeto muito legal chamado Accessibility View está sendo desenvolvido para mapear a cidade de São Paulo do ponto de vista da acessibilidade.

O Accessibility View será um aplicativo da internet que vai traçar uma rota de acordo com as condições das calçadas, indicando às pessoas com deficiência os caminhos com melhor acessibilidade.

Para realizar esse mapeamento, um grupo de voluntários irá às ruas com câmeras fotográficas para tirar fotos panorâmicas das calçadas, como as que já existem nos aplicativos como Google Maps e o Google Street View. Assim as pessoas com deficiência física conseguirão chegar em maior segurança até seu destino.

Desenvolvido por Eduardo Battiston, diretor de criação da Agência Click Isobar, o projeto venceu um evento de inovação tecnológica do Google chamado Creative Sandbox, que premia ideias que reúnem criatividade e tecnologia para melhorar a vida das pessoas.

Por enquanto o mapeamento será feito apenas na cidade de São Paulo, mas os criadores esperam que, no futuro, a iniciativa se espalhe para outros lugares e também incentive os governantes a se preocuparem mais com a questão da acessibilidade.

Vamos aguardar!

Veja abaixo um vídeo em que os criadores do projeto explicam como será esta ferramenta:



sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Dia Mundial de Doenças Raras é comemorado com semana de conscientização em São Paulo












Começou hoje em São Paulo a Semana de Apoio aos pacientes com Doenças Raras, em comemoração ao Dia Mundial de Doenças Raras, que acontece em 28 de fevereiro.

Durante o próximo final de semana, haverá uma série de atividades organizadas para maior divulgação sobre  doenças pouco conhecidas e que, juntas, afetam um grande número de pessoas, e que precisam ser bem conhecidas por todos

Doenças raras são aquelas que ocorrem com pouca frequência na população em geral. Para as pessoas atingidas, esta raridade traz consequências desfavoráveis, tanto médicas como sociais. O diagnóstico, quando feito, ocorre tardiamente. Há pouco conhecimento da comunidade médica, levando a uma cobertura inadequada do sistema de saúde, além de haver poucas pesquisas e medicamentos adequados e acessíveis para o tratamento.

Entre 6.000 a 8.000 doenças raras já foram identificadas. Em geral, elas ameaçam a vida e causam debilitação crônica, 80% são de origem genética e 50% afetam crianças. As atividades em torno desta data buscam tornar estas doenças mais conhecidas,  permitindo assim esforços conjuntos em oferecer qualidade de vida aos pacientes por meio de pesquisas científicas e apoio da sociedade em geral.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

12 dicas para cuidadores também se cuidarem




Para quem cuida de um familiar idoso, de uma pessoa portadora de deficiência ou em outra situação que exija cuidados permanentes, muitas vezes o dia parece ter mais que 24 horas e a semana, mais que sete dias! Sábado, domingo ou feriado, inverno ou verão, o cuidador familiar está sempre envolvido em oferecer conforto e bem-estar à pessoa que é cuidada. 

Cuidar de alguém envolve uma grande responsabilidade. Esperança, fé, paciência, força de vontade, além de muito amor e carinho precisam fazem parte do dia a dia de um cuidador. Mas também existem desafios, dias difíceis, imprevistos, frustrações e cansaço. Por isso, é muito importante que a pessoa que cuida de alguém leve a sério a necessidade de cuidar de si mesma. Só assim ela estará bem abastecida física e emocionalmente para poder cuidar do outro.


Cuidar de suas próprias necessidades é tão importante quanto cuidar de outra pessoa. Veja abaixo 12 dicas para melhorar a qualidade de vida de quem é um cuidador familiar.

1. Cuide de si mesmo 

Você não conseguirá cuidar bem de outra pessoa, se você estiver doente ou esgotado(a). 

2. Tenha um estilo de vida saudável

Faça exercícios, se alimente bem, não pule refeições, beba bastante líquido.

3. Cuide da sua saúde

Faça suas visitas ao médico regularmente e faça seus exames de rotina. Arranje tempo para cuidar também da sua saúde, tanto física quanto emocional.

4. Planeje o seu dia

Escolha o período em que tem mais energia e deixe para estes horários as tarefas de maior responsabilidade ou que exijam maior criatividade. 

5. Planeje sua semana

Não dá para ficar trabalhando 24 horas por dia e sete dias por semana. Defina uma lista com as prioridades do dia e faça uma agenda para realizar as tarefas pendentes. 

6. Tenha equilíbrio 

Esforce-se para alcançar o equilíbrio em sua vida. Lembre-se de pedir ajuda. Nenhum cuidador é insubstituível. Outras pessoas podem aprender a lhe ajudar, para aliviar sua rotina. 

7. Divida tarefas

Rodizie os cuidados com outros membros da família (ou outro cuidador) para que você possa ter um tempo para também descansar.  Converse sobre as possibilidades que as outras pessoas têm para cuidar: qual dia, horário, quanto tempo. Para que assim a pessoa disposta a ajudar se comprometa no auxílio do cuidado.

8. Procure ajuda

Procure serviços de apoio em sua comunidade. Participe de grupos de cuidadores ou outros grupos de apoio psicológico ou espiritual. Conversar sobre as dificuldades do dia a dia, desabafar e trocar experiências com outras pessoas nos ajuda a perceber que não estamos sozinhos e nos traz novas forças. 

9. Tenha momentos de lazer

Procure relaxar e fazer coisas diferentes. Sempre que possível, aprenda uma atividade nova, leia um livro novo, veja um bom filme. Passe tempo com sua família e saia com os amigos. Repor as forças é mais do que apenas descansar fisicamente.

10. Crie uma rede de apoio

Crie uma lista com o nome e telefone de amigos dispostos a ajudar, familiares e profissionais. Não hesite em pedir ajuda. Você não está sozinho!

11. Busque informação

Busque saber tudo o que for possível sobre o problema da pessoa que você está cuidando: qual o prognóstico, quais habilidades podem melhorar, quais condições serão permanentes e o que pode piorar. Isso ajudará a estar preparado e também trabalhar suas expectativas.

12. Seja positivo


Estimule sempre a autonomia possível de quem você cuida, converse, incentive, seja positivo e busque momentos felizes!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

GRHAU UNIDADE EDUCACIONAL


A Unidade Educacional do GRHAU atende crianças, adolescentes e jovens com distúrbios no desenvolvimento neuromotor, cognitivo e sócio-afetivo. Nosso diferencial é que, sempre integrado às aulas, são desenvolvidos programas que promovem maior ação dos alunos na sala de aula e em seu meio social. O olhar está sempre voltado para integrar reabilitação e educação.

A nossa filosofia baseia-se nas idéias da Educação Condutiva, um sistema educacional criado pelo Dr. Andréas Peto, médico e pedagogo húngaro. Seu objetivo maior é criar condições para que nossa população possa encontrar meios adequados para interagir, comunicar e incluir-se na sociedade.

Veja algumas imagens de projetos realizados com os alunos:

Projeto Cinema 2012


Alguns itens importantes para a projeção de um filme

 Bilheteria feita com material reciclado

Era uma vez um Conto de Fadas Inclusivo





"Era uma vez um Conto de Fadas Inclusivo” é uma série de 11 histórias inspiradas nos clássicos contos de fadas, em que os personagens principais possuem algum tipo de deficiência. A coleção foi escrita e ilustrada por Cristiano Refosco, fisioterapeuta especializado em neuropediatria que atua em Porto Alegre, RS.

As histórias surgiram naturalmente durante as sessões de fisioterapia, para distrair seus pacientes. Os pequenos acabavam super motivados, se vendo como os super-heróis dos livros.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

RPG


A RPG (Reeducação Postural Global) está indicada nas alterações posturais que promovem assimetrias, dor, limitação e desconforto, como as escolioses, cifoses, lombalgias, hérnias de disco, entre outras.

Consiste na realização de posturas estáticas que promovem alongamento de cadeias musculares, fortalecimento, correção e conscientização postural.

Fisioterapia respiratória

A Fisioterapia respiratória está indicada nas diversas afecções respiratórias em crianças e adultos, como bronquiolites, pneumonias, atelectasia, doenças pulmonares obstrutivas crônicas, etc. 


Tem como objetivo reestabelecer as funções respiratórias, promovendo higiene pulmonar, conforto respiratório e melhor qualidade de vida.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...