sexta-feira, 1 de março de 2013

DICAS DE SAÚDE AUDITIVA


Problemas auditivos podem aparecer em qualquer idade, e nem sempre são facilmente percebidos. Existem alguns cuidados simples para ajudar a preveni-los. Confira também dicas que nossa equipe de Fonoaudiologia separou, para ajudar a percebê-los e buscar pelo  diagnóstico e tratamento adequados logo que os sintomas surgirem.

  1. Você sabia que o ruído excessivo prejudica nossa audição?


Ouvir sons em volume alto pode ser muito prejudicial à saúde, ocasionando perda da audição, zumbido, sensação de ouvido tapado e outros sintomas. Proteja-se:
  • Fique longe de amplificadores/caixas acústicas que produzem sons fortes;
  • Abaixe o volume do som que você escuta: rádio, TV, MP3, CD player;
  • Use protetores auriculares (plugs/fones) em ambientes ruidosos, especialmente se você trabalha em local barulhento.

2. Cuide da audição de seu bebê:


  • Esteja com sua vacinação em dia: a vacina da rubéola deve ser tomada pelo menos 6 meses antes de engravidar;
  • Realize todas as consultas e exames do pré-natal;
  • Faça o teste da orelhinha no seu bebê logo após o nascimento: antes da alta da maternidade ou durante o primeiro mês de vida;
  • Ao amamentar, procure uma posição confortável, posicione a barriga do bebê encostada à sua e procure deixá-lo o mais inclinado possível, para que não mame deitado;
  • Acompanhe o desenvolvimento do bebê, especialmente como ele está reagindo aos sons;
  • Mantenha a vacinação de seu filho em dia e leve-o ao médico sempre que ocorrerem inflamações no ouvido, nariz ou garganta;
  • Evite barulhos fortes perto dele.

3. Cera de ouvido é sujeira?


A cera produzida no ouvido tem importante papel de proteção. Nunca introduza objetos dentro da orelha, nem mesmo cotonetes. Ao tomar banho ou molhar a cabeça, seque a orelha com uma toalha, mas somente onde seu dedo alcança, retirando apenas o excesso de cera que saiu para fora.


4. Problemas de audição podem demorar para serem percebidos. 

Fique atento para os seguintes sinais de alerta: 

  • Bebês que não se assustam com barulhos fortes, como trovão, portas batendo, etc.;
  • Crianças que demoram para começar a falar (mais de 1 ano e meio);
  • Crianças que falam errado;
  • Pessoas que pedem sempre para repetir o que foi dito, falam “hã? o quê?” com frequência;
  • Pessoas que não respondem ao chamado quando de costas;
  • Dificuldades para falar ao telefone ou para compreender o que outra pessoa fala em locais ruidosos.
Ao observar qualquer destes sinais, procure um médico otorrinolaringologista ou um fonoaudiólogo.


5. Você conhece o teste da orelhinha?


O teste da orelhinha é uma avaliação da audição, realizada logo após o nascimento para identificar bebês que nascem com problemas auditivos.

Estima-se que a cada mil nascimentos, 1 a 3 crianças nascem com algum comprometimento auditivo. A audição é muito importante para o desenvolvimento da criança e quanto antes for realizado o diagnóstico, mais êxito terá o tratamento.

O teste é simples, rápido e não ocasiona qualquer desconforto ao bebê. Preferencialmente deve ser realizado ainda na maternidade, cerca de 48 horas após o nascimento ou o mais próximo do horário de alta.

Passar no teste da orelhinha significa que o bebê nasceu ouvindo bem. O resultado alterado no teste indicará a necessidade de realizar exames complementares para o adequado diagnóstico do problema e início imediato do tratamento, quando este for necessário.

Depois do nascimento, continue atento ao desenvolvimento auditivo da criança, pois diversos fatores podem prejudicar a audição da criança.


6. O desenvolvimento da audição e da fala nos bebês


A família é muito importante para o desenvolvimento da criança. Participe de suas brincadeiras, cante, converse, conte histórias, transmitindo amor e segurança. Acompanhe como ocorre este desenvolvimento no primeiro ano de vida:

  • 0 – 3 meses: assusta-se com barulhos fortes e repentinos; presta atenção aos sons quando está acordado e acalma-se com a voz da mãe;
  • 3 – 6 meses: olha ou movimenta a cabeça, procurando a direção dos sons; começa a emitir sons, como se estivesse conversando e tenta imitar nossa voz;
  • 6 meses: consegue achar de qual lado vem o som, movimentando a cabeça e olhando prontamente para o lado ao ouvir sons suaves de brinquedos;
  • 6 – 11 meses: atende quando chamado pelo nome, produz cada vez mais sons, tenta chamar nossa atenção com os sons que produz, brinca de repetir vogais e sílabas;
  • 1 ano: dá tchau, joga beijo, bate palmas, quando solicitado; aponta para brinquedos ou familiares, demonstrando reconhecer o nome. Começa a falar as primeiras palavras.

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...